Sobre Teresópolis

 

St.Gallen 2

3504001

A História

A cidade, contam os historiadores, homenageia a Imperatriz Teresa Cristina, casada durante muitos anos com D. Pedro II. Tons variados e subtons de verde, envolvem a cidade de Teresópolis. No topo da Serra dos Órgãos, a paisagem é, também, a forma das montanhas e picos conhecidos mundo afora. Como o Dedo de Deus, marco do alpinismo. Ou a Pedra do Sino, porto seguro de quem não escala, mas também não abre mão de caminhar para chegar às nuvens. No entorno da cidade decoram a paisagem, de Mata Atlântica, árvores e flores de todas as cores. E uma fauna rica, ainda não totalmente identificada e pouco estudada, pode ser percebida numa simples incursão ao Parque Nacional da Serra dos Órgãos.

Mas as origens da cidade são mais recentes. Datam da primeira metade do século XIX. Embora a primeira descrição oficial tenha sido feita em 1788, por Baltazar da Silva Lisboa – que em seu relato descrevia a serra e também a Cascata do Imbuí – foi a partir de 1821 que a região começou a ser ocupada. Nessa época, o português de origem inglesa George March adquiriu uma grande gleba e transformou-a em fazenda modelo. A fazenda ficava onde está, atualmente, o Bairro do Alto e era chamada de Santo Antônio do Paquequer ou, talvez, Sant’Ana do Paquequer. Assim, esse primeiro povoado se formou, ao longo do caminho que ligava a Corte à província das Gerais. Foi o início do desenvolvimento da agricultura, da pecuária e do veraneio da região.

O crescimento do pequeno núcleo se verificou no sentido norte-sul, época em que comerciantes vinham de Minas Gerais em direção ao Porto da Estrela, nos fundos da Baía de Guanabara, passando antes por terras de Petrópolis. Teresópolis era, então, um ponto estratégico de repouso. Só mais tarde é que o fluxo foi alterado para o sentido sul-norte, com a ferrovia que ligava a cidade ao Rio de Janeiro. Lentamente, o povoado foi se desenvolvendo, passando à categoria de freguesia – Freguesia de Santo Antônio do Paquequer – em 1855. Somente em 06 de julho de 1891, através do decreto de nº 280, do então Governador Francisco Portela, a freguesia é alçada à condição de município, passando a denominar-se Teresópolis, devidamente desmembrada do município de Magé.


 

20110810225352

Nossa Geografia

O município pertence à bacia do rio Paraíba do Sul, além de ser banhado pelo Rio Paquequer e Rio Preto. Em Teresópolis predomina um relevo montanhoso e plano. Com uma altitude de 871 metros, possui formações montanhosas bastante conhecidas, como a Pedra do Sino, Agulha do Diabo, Pedra da Tartaruga e Mulher de Pedra, além do Dedo de Deus (1651 metros), muito importante para Teresópolis, sendo vista de muitos pontos da cidade, destacando-se o Mirante do Soberbo. O Dedo de Deus figura como um dos símbolos do município e pode ser considerado seu principal cartão-postal. Por suas formações montanhosas, a cidade é considerada a capital nacional do montanhismo. A vegetação nativa do município pertence ao domínio florestal Atlântico (Mata Atlântica). Teresópolis abriga a sede do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, bem como grande parte do Parque Estadual dos Três Picos, o maior parque estadual do Rio de Janeiro.
A cidade também possui o Parque Natural Municipal Montanhas de Teresópolis.


 

[Exemplo de legenda] corrobora um forte compromisso ontológico com a teoria dos conjuntos

[Exemplo de legenda] corrobora um forte compromisso ontológico com a teoria dos conjuntos

Nosso Clima

O clima de Teresópolis é identificado, como tropical de altitude com invernos amenos e secos e verões agradáveis e úmidos. Teresópolis tem um dos climas mais agradáveis do Brasil, com temperatura média anual de 17,7 C.